25 de novembro de 2010

A felicidade... o amor!

Este tema tantas vezes abordado por centenas de pessoas, e também por mim, de cada vez que teço considerações sobre ele há sempre algo a acrescentar. Tantas vezes o confundimos com outros sentimentos, mais ou menos intensos, que nos impedem de ver verdadeiramente o que este sentimento é e deve ser. Tantas vezes, achamos que amamos alguém, mas mais tarde chegamos à conclusão que afinal, o que sentimos, não é amor verdadeiro, é um sentimento que podia caminhar para lá, mas que acaba por ficar pelo caminho pelas mais diversas razões, mas as coisas complicam-se quando unimos a nossa existência a essa pessoa achando que tínhamos encontrado aquele amor. E afinal, tudo não passou dum sentimento que não nos levou onde queríamos, e um belo dia acordamos e damos conta que aquela vida onde nos sentimos presos, numa espécie de corda bamba, entre o ir e ficar, entre o ser e não ser, entre o querer ou não, não nos satisfaz, não nos faz feliz, não queremos mais, e ainda assim, ficamos ali… mas por mais comodismo que possamos sentir, será muito mau se deixarmos de ser felizes por essa razão, ou qualquer outra de origem mais ou menos moral, que nos impele a pensar nos outros em detrimento de nós mesmos… o que não damos conta é que fazendo dessa forma, continuamos com comportamentos mais ou menos desviados, que nos provocam sofrimento próprio, e sofrimento indirecto aos que nos rodeiam. Há que pensar um pouco mais em nós, porque se formos felizes, podemos também fazer os outros felizes, ao contrário não resulta!... A felicidade está em nós, e só trazendo-a de dentro para fora se chega lá, e não ao contrário. Escusado será dizer que ao procurarmos a mesma fora de nós, ou em alguém, isso não vai acontecer!... Ela está bem mais perto do que pensamos, nós é que insistimos em não a ver, ou querer ver!... Quando atingimos um determinado estádio de crescimento interior, todo o nervosismo desaparece, e surge a paz em sermos felizes, e em fazermos os outros felizes!... E aí, a parte mais importante, falta encontrar alguém que esteja ao mesmo nível emocional para atingir a verdadeira felicidade, aquela que procuramos a vida toda!...

4 comentários:

Santo&Pecador disse...

Grande verdade amiga!
Por muito que custe, por vezes o caminho para ser feliz é crítico e ingrato.

Beijo!

Sonhadora disse...

Minha querida

Um texto muito verdadeiro e de uma pessoa que sabe o que quer...mas falou tanto de mim...nem calculas.

um belo dia acordamos e damos conta que aquela vida onde nos sentimos presos, numa espécie de corda bamba, entre o ir e ficar, entre o ser e não ser, entre o querer ou não, não nos satisfaz, não nos faz feliz, não queremos mais, e ainda assim, ficamos ali…

Como isto é verdade...talvez medo...talvez comodismo, e os sonhos ficam perdidos no tempo...esperando o nada, eu estou assim.

deixo um beijinho carinhoso
Sonhadora

Menina do cantinho disse...

"Há que pensar um pouco mais em nós, porque se formos felizes, podemos também fazer os outros felizes, ao contrário não resulta!... A felicidade está em nós, e só trazendo-a de dentro para fora se chega lá, e não ao contrário. Escusado será dizer que ao procurarmos a mesma fora de nós, ou em alguém, isso não vai acontecer!" - Faz tanto sentido para mim.
Durante muito tempo acreditei que só seria feliz se conseguisse que a felicidade viesse de fora para dentro - Fui infeliz enquanto alimentei esta ideia.
Só fazemos alguém feliz, quando somos felizes!

Beijinhos

Moonlight disse...

Sus,

Concordo contigo!
Para sermos felizes,para encontrarmos a felicidade é procura-la dentro de nós mesmo.É crescendo interiormente que sim que conseguimos entender,que não é o que procuramos mas sim o que somos e temos de nos propios.
Eu encontrei em mim a felicidade dos meus dias.No dia a dia que vivo como se fosse o ultimo.
As minhas palavras apesar de muitas vezes poderem transmitir um sentimento triste,são apenas retalhos de mim.
tenho a certeza que me entendes.
Adorei a tua reflexão!Parabens!

Bjinho cheio de luar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...