27 de dezembro de 2010

Olho-te!

Olho-me…
E vejo estrelas de mil cores pintadas
Em céus rasgados
Pintalgados de nuvens de algodão!

Olho-me…
E sinto-me bailando em sons calmos
Pelos silêncios atravessados
Coloridos de notas ondulantes de luz!

Olho-me…
E revejo-me em saltos no tempo esguio
Das curvas rectas da vida
Que se escondem no horizonte!

Olho-me…
E sinto-me plantada no passado a preto e branco
Em fantasias, miragens e sonhos
Por caminhos arduamente traçados no futuro!

Olho-me…
E perco-me na imagem brilhante espelhada
Nos olhares que se cruzam
Por caminhos que não são de ninguém!

4 comentários:

Hugo de Macedo disse...

Belo poema, Sus. Intenso qb.

Votos de um excelente 2011 para ti também.

Li disse...

Feliz Ano Novo também para ti :)

Beijinhos*

Sotnas disse...

Olá SUS, desejo tudo de feliz pra você sempre!
Para olhar-se assim, somente alguém que conhece o seu eu mais profundo, pra se conhecer assim somente alguém que se gosta a ponto de amar-se! E alguém que se ama dessa maneira, é capaz de amar outro alguém na sua mais sublime e completa forma, o amor incondicional. E amando dessa maneira, somos capazes de trilhar o melhor ou o pior dos caminhos, e ainda assim não se pode ser afetado, o que quer que aconteça pelo caminho será facilmente superado, sempre que há a compreensão mútua!
Parabéns SUS, sempre postando belíssimos poemas, cheios de sentimentos!
Desejo pra você e todos ao redor tudo de iluminado em sua existência, sempre, grande abraço e até mais!

yin disse...

Bj doce..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...